A pedagogia calabriana

"Enxergar, inclinar-se, sacudir suavemente, reconhecer e acolher."

 

O CPIJ, assim como todas as unidades educativas calabrianas, fundamenta sua ação na proposta pedagógica calabriana, descrita no PPPC - Projeto Político Pedagógico Calabriano, documento orientador para todas as atividades educativas mantidas pelo Instituto Pobres Servos da Divina Providência no Brasil.

Sendo assim, baseados nos princípios da filosofia e espiritualidade do nosso fundador, São João Calábria, acreditamos numa concepção de mundo como família de Deus, acolhendo a cada um em sua dignidade de pessoa humana, sem distinção de raça, cor, religião, condição social, enfim, olhamos a todos como irmãos e irmãs, especialmente aqueles que mais precisam, "os mais pobres entre os pobres", assim como pedia o fundador. Nesse intuito, nossa prática educativa calabriana se dá através do respeito, do diálogo, da fraternidade e da solidariedade, buscando construir um espaço de convivência saudável e humanizador, capaz de transformar e promover a vida de todos os que nele se encontram: educandos, educadores, colaboradores, família e comunidade.

Assim, em nossa pedagogia seguimos a experiência vivida pelo Pe. Calábria quando, ao encontrar um menino na rua, envolto em trapos para fugir do frio e da fome que o assolavam, foi capaz de enxergar, inclinar-se, sacudir suavemente, reconhecer e acolher (PPPC, p. 47), revelando seu jeito próprio de amar, que nos propõe uma verdadeira pedagogia:
1. Enxergar: não se fixar nas aparências, mas adentrar na realidade da pessoa;
2. Inclinar-se (ouvir): sair de si para colocar-se junto ao outro, no mesmo nível. 'Desprender-se' do que se é para reconhecer quem o outro é;
3. Sacudir suavemente: ajudar a despertar não com violência, mas com a suavidade de quem respeita o outro com tudo aquilo que o circunda e mesmo numa atitude de silêncio assegura: "estou aqui com você para o que der e vier".
4. Reconhecer: é saber ultrapassar as defesas que nos distanciam dos outros e reconhecer neles o que têm de mais profundo: são pessoas, filhos de Deus, nossos irmãos;
5. Acolher: é oferecer a oportunidade de olhar a vida com esperança e construir seus sonhos, na solidariedade de irmãos;

Dessa forma, nossa concepção de educação nos convoca a sermos agentes de transformação, gerando processos de mudança em cada um, abrindo caminhos para que cada pessoa, sentindo-se valorizada e amada por Deus, possa por si construir o seu próprio caminho com liberdade, consciência e responsabilidade.