Serenidade e organização caracterizam a Unidade Francisco Cipriani

Uma marca comum no depoimento de profissionais e educandos: serenidade e organização. Com mais de 220 atendimentos e 12 colaboradores, a Unidade Francisco Cipriani foi fundada em 2002 a partir de iniciativa de missionários benfeitores italianos Sommacampagna. O nome da atividade é uma homenagem a um dos missionários.

O local exala espiritualidade e não é para menos, pois na frente há a Capela Sagrado Coração de Jesus, que recebe fiéis da comunidade. A unidade está localizada no bairro Restinga Nova e sua história reserva muitas melhorias e atualizações.

Em 2016 houve a construção do ginásio poliesportivo a partir de apoio da empresa Gerdau e da ação beneficente Lance de Craque. A atualização acrescentou muita qualidade às atividades desenvolvidas com os educandos. Além disto, o desenvolvimento da quadra culminou com a construção de novas salas de informática, novos banheiros, vestiários, salas de jogos e de atividades pedagógicas e de música.

A educanda Valentina, 9 anos, se prontificou a falar do Cipri com muita alegria. Revela que deixa tudo de ruim do lado de fora, que é um espaço de brincadeiras e dos melhores amigos. "Eu mais gosto de brincar. Meus professores são ótimos", comenta.

Já o educando Douglas, 08, admite que achou que o Cipriani era chato. Mas descobriu nas atividades que é tudo "muito legal", fez amigos e agora adora ficar na unidade.

A coordenadora da Casa (termo calabriano utilizado para se referir as unidades) Shana Jarutais atua no CPIJ há 18 anos, dois quais os últimos 8 são dedicados à gestão do Cipriani. A colaboradora comenta que através do trabalho que desenvolve aprendeu lições que a motivaram muito na vida e a buscar o sucesso da comunidade.

?Para mim estar aqui é uma realização pessoal. No futuro, queremos ampliar metas, qualificar ainda mais o que fazemos?, destaca Shana. Os educandos têm à disposição mais de 200 refeições por dia. Um dos destaques do último ano é a quantidade de crianças atendidas, que ultrapassam as metas estabelecidas pelas parcerias. "Há uma fila de espera. Sinal que a qualidade do atendimento está chegando aos "ouvidos" da comunidade", explica a coord. Shana.

Mãe de duas crianças no Cipriani, Daiani lembra que o filho Iago está há 4 anos na unidade e a filha, de 6 anos, vai ingressar a partir da próxima semana. "Eu não sabia o que fazer se não fosse o Cipriani. Como eu ia trabalhar? Sei que aqui estão bem cuidados", comenta.

A Unidade de Atendimento Francisco Cipriani é um local que inspira tranquilidade. Com ambiente aconchegante, pais e responsáveis, colaboradores e crianças interagem todos os dias em clima de cooperação e amizade. Sem dúvida um espaço especial na Obra Calabriana.